0

11 Dicas para evitar que seu e-mail seja marcado como SPAM

Se você possuí uma campanha de e-mail marketing ou pretende iniciar uma, é importante evitar alguns erros para que seu e-mail não seja marcado com SPAM. Um e-mail marcado como SPAM dificilmente é lido pelo usuário, caso isso ocorra, a campanha de e-mail marketing fica totalmente prejudicada.

Quando um e-mail é marcado como SPAM ele não é exibido na “Caixa de Entrada” do usuário, fazendo com que ele nunca seja lido. Poucas pessoas têm o costume olhar o “Caixa de Spam”, que é para onde este tipo de e-mail é enviado. A chance de ocorrer uma conversão nestes e-mails é baixíssima.

Os servidores de e-mails como Gmail, Outlook e Yahoo possuem sistemas de avaliação automatizada dos e-mails enviados e recebidos. Utilizando uma métrica conhecida como “Spam Score”, analisam os e-mails e conseguem determinar se o mesmo é SPAM ou não.

1 – Origem do E-mail (From)

Se você está fazendo uma campanha de e-mail marketing fica impossibilitado de utilizar serviços tradicionais como Gmail ou Outlook para fazer o envio dos e-mails, porque estes serviços não suportam o envio em massa de e-mails.

Você provavelmente recorra a uma VPS ou a sua própria hospedagem compartilhada (limitada) para enviar os e-mails. O problema é que esses servidores podem utilizar um IP que está em uma blacklist. Isso ocorre porque alguém utilizou o mesmo IP que você para enviar SPAM. Provavelmente uma pessoa antes de você tenha utilizado este IP e enviou SPAMS através dele. No caso do IP estar em uma blacklist o melhor a fazer é entrar em contato com a empresa de hospedagem de sites e solicitar a regularização deste situação. Eles possuem meios de resolver isso, mas podem demorar bastante a solucionar.

O ideal é que você utilize uma ferramenta especifica para envio de e-mails em massa, como GetResponse ou E-goi, que possuem uma estrutura especifica e um controle maior sobre os IPs que entram na blacklist. Esse tipo de ferramenta costuma possuir regras rígidas em relação ao SPAM, então, se você tentar enviar enviar e-mails não autorizados (SPAM) será penalizado. Outra vantagem é que estas ferramentas possuem uma série de funcionalidades que facilitam a criação de campanhas e o acompanhamento dos resultados.

Caso você instale um servidor SMTP em seu computador pessoal e tente enviar e-mails, os principais serviços o classificaram como SPAM. Os filtros de e-mails não aceitam e-mails enviados a partir de IPs dinâmicos, que mudam a cada acesso e são utilizados na internet residencial.

Domínio Blacklistado

Quando você adquire um domínio, as vezes pode acontecer de ele ter sido usado anteriormente para envio de Spam. Se for este o caso, o domínio fica “blacklistado” e os e-mails enviados à partir deste domínio são marcados como spam automaticamente. Por esse motivo, adquirir um domínio expirado é muito arriscado, a chance de ele ter sido usado para prática de Spam é alta.

2- Título muito grande

O título é um dos aspectos mais importantes em uma campanha de e-mail de sucesso. Mas além disto, o título correto é muito importante para que seu e-mail não caia na Caixa de Spam do usuário. Ao criar um título muito grande seu e-mail pode ser classificado como SPAM, por esse motivo os e-mails devem ter no máximo 50 caracteres.

Pode ser necessário reformular o título e abrir mão de certas palavras para reduzir o tamanho do título. Tente resumir a mensagem que você queria passar ou falar com outras palavras, mas não ultrapasse o limite de 50 caracteres no título.

3 – Palavras Proibidas no Título

Uma característica comum em SPAM é o título chamativo. Os spammers são especialistas em criar títulos chamativos, desta forma conseguem uma alta taxa de abertura em seus e-mails. Porém, os filtros de e-mails estão cada vez mais espertos e procuram certas palavras ou até mesmo fases que normalmente são utilizados nos e-mails criados por spammers.

Evite utilizar palavras como: promoção, desconto, imperdível, crédito, viagra e etc. Também evite escrever palavras em caixa alta no título do e-mail e com acentos gráficos “!” e “?”.

Evite utilizar nomes de bancos (Itaú, Caixa Econômica, Santandar e etc) e instições financeiras (Mastercard, Credicard e etc) no título, porque seu e-mail pode ser confundido como uma tentativa de Phishing. Quando você coloca um nome no título que é muito usado na prática de Phishing seu e-mail pode ser marcado como SPAM. Esse é um fator que pesa muito no Spam Score.

4 – Cuidados com HTML e CSS

Existem uma série de elementos do HTML que são proibidos, mesmo que o e-mail não seja marcado como SPAM, esses elemento serão removidos do e-mail quando o mesmo for exibido. Não utilize DIVs, Styles e JavaScripts nos emails. Os atributos CSS devem ficar inline, e mesmo assim seu uso é bastante limitado.

Se você precisa estruturar vários elementos no e-mail, deverá utilizar tabelas, mesmo assim existem uma série de regras que devem ser seguidas para que o e-mail possa ser visualizado da mesma maneira em todos os clientes de e-mails. Por isso, é recomendável que evite ao máximo utilizar muito CSS e HTML em seus e-emails.

5 – Inclua a versão “Texto Puro”

Ao criar o e-mail com a versão HTML, obrigatoriamente, informe a versão “Texto Puro”, que nada mais é que a versão contendo apenas os textos da versão HTML. Esse é um fator muito importante para que seu e-mail não seja classificado como SPAM. Você pode simplesmente copiar todo o texto da versão HTML e colar na versão “Texto” do e-mail.

6 – Cuidado com imagens

Como existem uma série de palavras que fazem com que o e-mail seja marcado como SPAM, cada vez mais os Spammers estão utilizando apenas imagens em seus e-mails, assim os filtros de e-mails não conseguem identificar seu conteúdo. Por esse motivo, e-mails que possuem apenas imagens são classificados como SPAM.

Procure inserir textos em seus e-mails e quando utilizar imagens informe algum valor no atributo “alt”, desta maneira os filtros de e-mails conseguem ler e interpretar corretamente seu e-mail.

É importante ter cuidado com o endereço das imagens, principalmente o nome da pasta onde se encontra a imagem. É muito comum encontrarmos uma imagem com endereço “htto://seusite.com/emailmkt/image.png”. Esse “emailmkt” pontua negativamente no Spam Score.

7 – Imagem Grande

Não utilize imagens extremamente grande em seu e-mail marketing. Sempre que possível, corte a imagem em vários pedaços. Em alguns casos pode ser necessário utilizar o recurso de tabelas do HTML para posicionar ou organizar as imagens. Apesar de ser trabalhoso, é muito melhor que utilizar apenas uma imagem grande no e-mail.

8 – Evite e-mails enganosos

Se você promete alguma informação no título e não entrega no conteúdo, ou induz o usuário ao erro (faz ele pensar que receberá algo e não entrega), existe uma grande chance do usuário ficar extremamente frustrado com seu e-mail e marcá-lo como SPAM. Quando várias pessoas marcam seu e-mail como SPAM, os filtros de e-mails podem começar a tratá-lo como SPAM. Isso é muito comum de acontecer.

9 – Envios em excesso

Ao enviar um volume de e-mails muito alto para o usuário você corre o risco ter e-mails marcados como SPAM. Muitas pessoas acabam marcando com SPAM quando acha que está sendo enviado uma quantidade de e-mails muito alta.

10 – Inclua a opção de “Desinscrever”

Se você não incluir a opção Unsubscribe (ou desinscrever-se) as pessoas podem marcar seu e-mail como SPAM para parar de recebê-lo. Um número muito alto de pessoas marcando ele como SPAM faria com que os clientes de e-mail tratem os novos e-mails como SPAM.

Além disto, quando não há opção de “desinscrever-se”, o e-mail é pontuado negativamente no Spam Score, fazendo com que o mesmo seja classificado automaticamente como SPAM. Ferramentas como o Gmail conseguem facilmente detectar quando o e-mail não possuí essa opção.

11 – Anexos suspeitos

Novamente existe o risco de seu e-mail ser classificado como Phishing e ir direto para o “Lixo Eletrônico” ou “Caixa de Spam”. Para que isso não ocorra é necessário evitar incluir no conteúdo do e-mail links para arquivos executáveis (com extensão .exe) e arquivos zipados (.rar, .zip e etc.). Também é importante não anexar esses tipos de arquivos nos e-mails. É muito comum o uso destes tipos de arquivos em golpes virtuais conhecidos como phishing. Por esse motivo, os e-mails que contenham arquivos com estas extensões ou outras extensões suspeitas poderão ser classificados como SPAM.

staff

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *